Publicado por: Foco na Natureza | 20/11/2011

PANTANAL NORTE e ALTA FLORESTA (MT)

 

cardeal-do-banhado

LUGAR
Pantanal Norte e Alta Floresta (MT)

CARACTERÍSTICAS DO LUGAR
Este foi um passeio dedicado a conhecer os caminhos pelas estradas do Brasil, saindo de São Paulo, passando pelo Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Passamos por ecosistemas de cerrado, mata atlântica, pantanal e floresta amazônica. Todos estes em pequenos fragmentos, pois a ocupação e desmatamento já são imensos. Deixamos a tristeza de lado e passamos a observar e admirar os focos que restam de estradas e lugares preservados. Nesta época do ano a vegetação está em plena recuperação com o início das chuvas, muito verde e florida; a fauna com muita atividade, afinal estamos na primavera.

COMENTÁRIOS DA VIAGEM
Com um percurso de aproximadamente 5.500km, saimos de São Paulo para conhecer um pouco os caminhos pelas estradas do Brasil, chegando até Alta Floresta, no norte do Mato Grosso, quando aliamos este passeio a um grande encontro familiar, onde fomos comemorar o primeiro aniversário de nosso netinho Caio. Foram dias de muito carinho e emoção.
No retorno, passamos pelo Pantanal Norte, percorrendo a Estrada Parque que sai de Poconé até Porto Jofre. Neste trajeto já é possível encontrar animais pelos lados da estrada, como muitos jacarés e capivaras, além da infinidade de aves, que nesta época estão em grande processo de construção de seus ninhos.
Ficamos mais alguns dias na Pousada Piuval (www.pousadapiuval.com.br) onde, com a companhia do guia Osvaldo, foi possível observar e conhecer um pouco mais sobre características regionais e encontrar pássaros que nos pareciam impossíveis de achar.
Na volta, fizemos um caminho de retorno pela divisa com Goiás e noroeste de São Paulo, o que nos deixou perplexos quanto ao desmatamento, estradas quase intransitáveis e uma multidão de carretas em grande parte do percurso, principalmente nas estadas do Mato Grosso. Mas nada tira a beleza dos lugares naturais que ainda restam. Sempre vale a pena.

DATA
Primavera – de 05 a 15 de outubro de 2011.

CLIMA
Por estarmos no meio da primavera, as chuvas estão retornando no centro-oeste. Os dias são um pouco mais quentes, mas a temperatura em geral foi bastante agradável. Muito interessante como, mesmo durante o dia, sob a sombra de uma árvore, a temperatura é extremamente agradável. Ótima época para este passeio.

ROTEIRO
Ida: 1° dia-  Saindo de São Paulo até por Coxim (MS);  2° dia – Coxim até Lucas do Rio Verde (MT); 3° dia – Lucas do Rio Verde até Alta Floresta (MT)
Volta: Alta Floresta – Lucas do Rio Verde – Poconé (Pousada Piuval) – Alto Araguaia – Chapadão do Sul – São Paulo – neste percurso foram várias paradas para observação e descanso.


FOTOS – Acesse as imagens desta viagem: PANTANAL NORTE e ALTA FLORESTA (MT)

Estando em Alta Floresta, não deixe de visitar a RPPN do Rio Cristino. Veja fotos em Cristalino (março-2011) e Cristalino (maio – 2010); relatos neste blog: RPPN DO CRISTALINO – ALTA FLORESTA (MT)

 

garça moura  cabure

jacaré  lagoa

Anúncios
Publicado por: Foco na Natureza | 04/06/2011

ATACAMA E SALAR DE UYUNI

IMG_2376

LUGAR
San Pedro de Atacama (Chile) e Salar de Uyuni (Bolívia)

COMENTÁRIOS DA VIAGEM
 Mais uma vez voltamos este lugar muito especial que é a Cordilheira dos Andes. Desta vez para rever com mais detalhes alguns lugares especiais do Deserto de Atacama e, nossa principal meta, atravessar o Salar de Uyuni. Outro fator que definiu a escolha por esse roteiro foi o fato de que conhecíamos a Cordilheira somente no verão e estávamos bastante curiosos para apreciar e fotografar os Altiplânicos no outono, quando o céu é mais limpo e de um azul fenomenal, com luzes perfeitas para nossas fotos.
Desta vez, optamos por fazer a viagem de avião (por pura falta de tempo, pois de carro pode-se aproveitar muito as belas paisagens da viagem). Como apoio da agência CiaEco, optamos por fazer um roteiro de 10 dias, chegando em Santiago dia 29 de abril, seguindo para Calama dia 30. Alugamos uma 4×4 e de lá fomos direto para San Pedro de Atacama, onde ficamos no Hotel Altiplânico (recomendamos – excelente custo-benefício).
Para um roteiro de três dias no Atacama fomos acompanhado pelo guia João Paulo (joao_paulopizarro@hotmail.com – guia brasileiro que mora em San Pedro, jovem e com muita disposição), que nos mostrou o Atacama da forma que queríamos ver: parando sempre para observar e fotografar, além de fazer o roteiro com os pontos de interesses que definimos.
Depois de três dias, seguimos rumo a Bolívia, que é um capítulo a parte.
Na fronteira, encontramos com nosso guia Victor e motorista Sr. Naum. Diferenças imensas entre os dois países: estradas demarcada simplesmente não existe. Como o roteiro é constante, os hotéis são muito simples, exceto o Hotel de Sal Luna Salada (uma surpresa a parte, onde passamos a noite de meu aniversário). A partir do Hotel de Sal, entramos para o tão esperado Salar de Uyuni, de uma beleza impressionante (não recomendamos tentar atravessá-lo sozinho, pois somente os guias mais experientes conseguem fazer este trajeto com tranquilidade. Tem-se inúmeras informações de grupos perdidos, inclusive uma família no mesmo dia em que estávamos por lá
Percorremos o dia todo pelo salar, seguindo para outro hotel no meio do caminho (muito simples, mas simpático) para então no dia seguinte nos levar até a fronteira, onde novamente um transfer nos levou de volta para Calama (agências do Chile não operam na Bolívia). Descansamos a noite em Calama e seguimos no dia seguinte de volta a Santiago – uma cidade cosmopolita e muito agradável – de onde retornamos para São Paulo

CARACTERÍSTICAS DO LUGAR
Difícil dizer qual dos lugares é mais belo – têm-se que conhecer. O Deserto de Atacama e a região altiplânica dos Andes é um complexo de cores das diferentes rochas que complementam com as lagunas que se podem encontrar pelo caminho.
San Pedro é uma pequena cidade com um forte apelo turístico onde pode-se encontrar pessoas do mundo todo em qualquer época do ano. O contraste é muito grande entre os belos hotéis e a precariedade da cidade. Mas não se impressione, pois a partir deste lugar pode-se conhecer lugares espetaculares como os Geiseres de Tatio, Vale das sete cores, lagunas altiplânicas e o próprio deserto de Atacama. Não se limite a ir direto para os pontos turísticos: aproveite cada instante no percurso de ida e volta (as paisagens diferem-se a cada ponto de vista); observe a fauna e flora, com características bastante peculiar da região. É sempre emocionante encontrar um bando de guanacos, vicunhas e aves andinas nos vales verdes formados pelas águas de degelo.
Na Bolívia, começando pelo caminho a partir do Chile, passa-se pelas Lagunas Branca e Verde (esta de uma coloração verde-esmeralda com o vulcão ao fundo – de tirar a respiração); a Laguna Colorada, um pouco mais a frente é realmente um lugar especial no mundo: de coloração avermelhada ainda nos brinda com uma quantidade imensa de flamingos das três espécies da América do Sul: chileno, altiplânico e de james. Uma visão impressionante.
Outra grande surpresa foi passar pelo Vulcão Sol da Manhã, onde pode-se ver várias pequenas crateras com uma lama borbulhante (gêiseres) de cores diferentes.
Para se chegar até o salar foram praticamente dois dias de viagem, com muitas paradas pelo caminho. Nem precisa dizer que a imagem é de tirar o fôlego e ficar hospedado em um hotel de sal com a vista para todo o salar foi um presente especial.
A travessia pelo salar de Uyuni é indescritível. Transita-se por um mar de sal, com alguns trechos com uma camada bastante fina de água, onde formam-se desenhos belíssimos. Fomos brindados pela passagem de um grupo de flamingos migrando para o norte: um momento que jamais sairá da nossa mente. No meio de "lugar nenhum" paramos na Ilha Pescado com uma quantidade de cactus imensos; subindo pelo caminho das pedras pode-se avistar o salar em toda sua plenitude. Neste momento tem-se a plena certeza de que é quase impossível fazer a travessia sem alguém com muita habilidade e conhecimento do lugar.

DATA
Outono – de 29 de abril a 8 de maio de 2011.

CLIMA
O clima é extremamente seco com temperaturas nesta época variando de -12°C a noite (de madrugada saindo para o Gêiser del Tatio) chegando a quase 30°C durante o dia.

COORDENADAS
22° 25′ 45" S  67° 44′ 00" W

LOCAL
Cordilheira dos Andes, entre o Deserto de Atacama (norte do Chile) e o Salar de Uyuni (sul da Bolívia).

ROTEIRO
Os trajetos de nosso roteiro foram gravados no GPS. Solicite os arquivos através do e-mail botacini@uol.com.br

Mapa Atacama - Salar Uyuni

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FOTOS: Acesse as imagens:
Atacama – Maio 2011
Salar de Uyuni

IMG_2345 IMG_2402

 IMG_2631 IMG_2676

Publicado por: Foco na Natureza | 22/04/2011

PANTANAL SUL – POUSADA REFÚGIO DA ILHA

IMG_5649

LUGAR

Pantanal Sul – Pousada Refúgio da Ilha

CARACTERÍSTICAS DO LUGAR
Distante aproximadamente 1.200km de São Paulo, a pousada localaliza-se  em um dos lugares mais preservados do Pantanal Sul, próximo à cidade de Miranda/MS, ao longo do Rio Salobra, muito cristalino, e com excelentes áreas para observação de pássaros. Pela proximidade da rodovia, é uma execelente opção para conhecer o Pantanal em qualquer época do ano.

COMENTÁRIOS DA VIAGEM
Nesta época do ano, o outono, as águas ainda estão baixando no Pantanal, com várias áreas alagadas, rio cristalino, e algumas dificuldades de trânsito pelas trilhas. Porém, os passeios de barco são de uma beleza de tirar o fôlego.
Começamos nosso roteiro contando com a preciosa ajuda de nossa guia de pássaros Manoela Bernardy (manoelabernardy@gmail.com), que nos acompanhou desde Campo Grande e em todos os momentos na pousada. De uma sensibilidade fora do comum, juntamente com os guias da pousada José e Delírio, conseguimos em três dias observar mais de 120 espécies diferentes de aves. Impressinou-nos o comenhecimento, audição e visualização da Manoela e do José, que nos levaram a lugares especiais e, com toda dedicação, nos mostraram as diversidades de aves em trilhas a pé ou de barco.
A pousada é muito agradável, com acomodações simples mas muito bem cuidadas. As refeições são um caso a parte. Todas maravilhosas. Antes do almoço, após chegar dos passeios, nada melhor que um mergulho no rio para observar os peixes em uma fluatuação tranquila, bem na frente da pousada. Muito organizada, saimos muito cedo, antes do nascer do sol, sendo que no dia que subimos o rio, fomos presenteados com um maravilhoso café da manhã em plena mata, com uma vista deslumbrante do rio, e uma mesa completa gentilmente composta pelo José.
É um lugar que deveremos retornar na época da seca, onde contam com as concentrações de aves nas baias que se formam após as enchentes e com as piuvas floridas.

DATA
Outono – de 16 a 20 de abril de 2011.

CLIMA
Por estarmos no início do outono, as chuvas já finalizaram, mas ainda as águas estão altas, com muitos trechos de vazantes. As saídas aso passeios foram bem no início das manhãs e nos finais de tarde, quando a lua cheia em seu dia máximo nos presenteou com um fim de tarde inesquecível, junto a um bando de araras azuis.

COORDENADAS
20 13′ 37" S  56 34′ 35" W

LOCAL
Localiza-se próximo Serra da Bodoquena, cerca de 20km da cidade de Miranda/MS.

ROTEIRO

Visite o site do Refúgio da Ilha clicando aqui

FOTOS
Acesse as imagens: Pantanal Sul – Refúgio da Ilha.

IMG_2206  IMG_6030

  IMG_5472IMG_5437

Publicado por: Foco na Natureza | 23/10/2010

PARAISO ECOLODGE – RIBEIRÃO GRANDE/SP

Foco na Natureza - Todos os direitos reservados

LUGAR

Paraíso Ecolodge – Ribeirão Grande – SP

CARACTERÍSTICAS DO LUGAR
Situada em um dos lugares mais preservados da Serra de Paranapanema, nos limites do PE Intervales, tem trilhas belíssimas com cachoeiras, frutas, flores e pássaros das mais variadas espécies.

A pousada é um diferencial em todos os aspectos, desde a beleza do lugar até as acomodações, gastronomia, guias etc.

As trilhas dentro da pousada são suficientes para um passeio de três dias, para observação de aves, mas no entorno e também pela proximidade do Intervales, vale a pena passar umas boas férias.

COMENTÁRIOS DA VIAGEM
Para quem procura um lugar com muita área verde, belas paisagens, trilhas, excelente gastronomia, chalés com muito conforto e um pessoal com um carinho imenso em te receber, este é o lugar.

Desde a reserva com a Mara, sempre muito alegre e carinhosa; o Jackson, que já nos recebe contando as novidades que a natureza está apresentando no dia que chegamos; seu Ditinho com suas histórias de vida de mata e com um olho especial para os pássaros, difícil citar todos que, com imensa simpatia nos recebe.

Depois de nos acomodarmos, fica irresistível não dar uma passadinha pelo restaurante e ver o chef Júlio e seus assistentes na correria da cozinha preparando sabores que nos encantam nos dias que passamos por este lugar maravilhoso.

Bem, se for citar todos que nos recebem com tanto carinho, com certeza estaria cometendo uma injustiça deixando alguém, mas podem ter certeza que em nenhum lugar se encontra um conjunto com tantas qualidades em atendimento, beleza natural, tranquilidade…

Como já visitamos em três estações do ano, é perceptível a variedade de pássaros e suas migrações; em cada estação uma novidade. As trilhas dentro da pousada são perfeitas para a observação, pois são largas e limpas, muitos trechos em desnível, o que se pode fotografar as aves  quase nas copas. Pode-se passar de três a quatro dias somente dentro da área no interior da pousada e ainda assim não percorrer todas as trilhas. Sem falar no mirante, ao lado do restaurante, onde pode-se montar todos os equipamentos e só esperar o seu Ditinho ir apontando de tucanos a sanhaços e arapongas. O pomar ao redor atrai tantos pássaros que não é necessário comedouro para atraí-los.

É simplesmente o Paraíso!

DATA
Já visitamos na primavera e no inverno (2010), onde pode-se notar as diferenças do clima, paisagem e as alterações das espécies de fauna e flora.

CLIMA
Por estar a aproximadamente 900m de altitude e quase nos altos da Serra de Paranapanema, sofre muita influência das variações de tempo vindas do litoral. Como é próprio de área de floresta de montanha, os dias mais quentes são sempre sujeitos à chuvas, e às neblinas principalmente nas primeiras horas da manhã e à tarde.

COORDENADAS
22 51′ 20″ S  44 26’51″ W

LOCAL
Localiza-se na Serra de Paranapanema, cerca de 20km da cidade de Ribeirão Grande, no sul do estado de São Paulo.

ROTEIRO

Visite o site do Paraiso Ecolodge

TRILHAS
Para fazer o download gratuito do GPS Track Maker, clique aqui

FOTOS
Acesse as imagens: Paraiso EcoLodge

Foto: Públio Rodrigues - Todos os direitos reservados Foto: Públio Rodrigues - Todos os direitos reservados 

Foto: Públio Rodrigues - Todos os direitos reservadosFoto: Públio Rodrigues - Todos os direitos reservados

Publicado por: Foco na Natureza | 07/09/2010

PARQUE DAS NEBLINAS – SUZANO-SP

LUGAR
Parque das Neblinas – Suzano – SP

CARACTERÍSITCAS DO LUGAR
O Parque das Neblinas, localizado no limite dos municípios de Mogi das Cruzes e Bertioga (SP), é uma reserva de 2.800 hectares gerenciada pelo Instituto Ecofuturo. Vizinho ao Parque Estadual Serra do Mar – Núcleo Itutinga-Pilões, encontra-se em região declarada como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, sendo reconhecido, desde 2007, como Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.

COMENTÁRIOS DA VIAGEM
Este passeio pode ser feito em um dia, com agendamento. O parque aferece várias trilhas muito bem cuidadas, que são feitas sempre acompanhadas por guias locais, com bom conhecimento da fauna e flora. Para um bom aproveitamento, começamos sempre bem cedo, com um maravilhoso café da manhã preparado pelas moças do Sabor da Capela (encontrar a Olinta e a Vanda é sempre um momento emocionante), sempre já deixando agendado o almoço para o retorno da trilha

Todas as trilhas são excelentes, cada uma com um diferencial: caminhos com as mais difentes orquídeas, pássaros, insetos  etc. Sempre tem uma novidade. A mais longa, a do Mirante, tem um visual de tirar o fôlego por todo caminho, em meio à Mata Atlântica. No final, do topo, pode-se avistar o mar, na região de Bertioga.

Retornando do passeio, normalmente por volta das 13:00hs, já é possível caminhar em meio à neblina, que dá nome ao Parque. Chegando ao centro de visitação, aquele almoço agendado está sempre à nossa espera: simplismente imperdível!! É de um capricho que se equipara aos melhores restaurantes de São Paulo. Desde os sabores até a arte de bem decorar. Vale tudo!

Importante agendar com a Michele (Agendamento) com alguns dias de antecedência. Conversar com todo esse pessoal (o Sandro tem ótimas histórias e uma dedicação imensa ao trabalho no parque) é sempre muito gratificante. Além do contato direto com o parque, a Trip on Jeep também faz este roteiro.

DATA
Várias vezes ao ano. Vale passear por lá pelo menos uma vez em cada estação do ano.

CLIMA
De altitude, próprio da Mata Atlântica, com a incidência de neblina nos períodos de umidade do ar elevada. No inverno, os dias são mais claros e secos; no verão, neblina e chuva, normalmente no período da tarde.

COORDENADAS 230 44′ 53" S  460 09’48" W

LOCAL
A partir da Estrada Mogi-Bertioga, seguir em direção à Taiaçupeba, por asfato. A partir daí, seguir pela estrada de terra, sempre muito bem conservada, seguindo as indicações.

ROTEIRO
Para todos os detalhes, inclusive de agendamento, visite o site: Parque das Neblinas

TRILHAS
Com circuitos de aproximadamente 5km de trilhas, passa-se por áreas da Mata Atlântica em diversos estágios de regeneração e pode se apreciar várias espécies animais e vegetais, com destaque para as bromélias e as orquídeas. Em diversos pontos, o rio Itatinga, com suas águas cristalinas, é o principal atrativo, inclusive para um mergulho.

FOTOS
Acesse as imagens :
Parque das Neblinas

Foco na Natureza - Todos os Direitos Reservados Foco na Natureza - Todos os Direitos ReservadosFoco na Natureza - Todos os Direitos Reservados Foco na Natureza - Todos os Direitos Reservados

Publicado por: Foco na Natureza | 29/08/2010

PN SERRA DA CANASTRA – MG

LUGAR
Parque Nacional da Serra da Canastra

Lobo-Guará - Foto: Foco na Natureza - Todos os direitos reservados

COMENTÁRIOS DA VIAGEM
Fizemos o roteiro a partir de Sacramento (MG), iniciando pela entrada por Desemboque. Mesmo antes de ingressar no Parque já foi possível fazer várias paradas para fotos e observação de pássaros.

CARACTERÍSTICAS DO LUGAR
O Parque é caracterizado, em sua parte alta, por Cerrado, onde pode-se observar inúmeras espécies de pássaros, em especial o Galito, além de tamanduás e o sempre arisco lobo-guará. Os caminhos dentro do Parque são longos com paisagens magníficas próprias do cerrado, marcadas pelas nascentes e topos das várias cachoeiras dos rios que formarão as bacias dos rios São Francisco e Paraná.

DATA
22 e 23 de agosto/2010

CLIMA
Muito seco, quente durante o dia com queda de temperatura no por do sol.

COORDENADAS
20° 08’05″S  56° 54′ 45″ W

LOCAL
Localiza-se próximo ao triângulo mineiro, com acessos pelas entradas oficiais do Parque a partir de Sacramento, São Roque de Minas e São João Batista.

ROTEIRO
Saimos de Sacramento bem cedo. Percorrendo aproximadamente 80km de Estrada de terra em ótimas condições, em direção à portaria do Parque. Optamos por um caminho passando por Desdemboque, vilarejo de interesse histórico. Entrando pelo Parque, fazendo várias paradas para fotos e observação, almoçamos no bar de Sr Vicente em São João Batista, onde pernoitamos na pousada Refúgio da Serra. A tarde, percorremos as estradas que levam até a parte alta da cachoeira Casca D’Antas, formada pelo Rio São Francisco. Na manhã seguinte, saindo de São João, avistamos nosso primeiro Lobo-Guará (emocionante), seguindo para a belíssima cachoeira do fundão, onde fizemos um almoço bem regional. Em todo percursso, várias aves e tamanduás, inclusive uma mãe com seu filhote nas costas nos deu o prazer desta visão. Deste caminho, saindo novamente pela portaria de Sacramento, pernoitamos no Hotel Fazenda Portal da Canastra.

TRILHAS
As trilhas são todas formadas pelas estradas que cortam o Parque e que é permitido seu percurso por carro. São estradas bem conservadas, bem tranquilas fora de férias ou feriados. Nelas foi possível ver por duas vezes o lobo-guará; encontramos com dez tamanduás-bandeira pelo caminho e vários pássaros.

FOTOS
Acesse nossas fotos no álbum PN Serra da Canastra

Foco na Natureza - Todos os direitos reservadosFoco na Natureza - Todos os direitos reservadosFoco na Natureza - Todos os direitos reservadosFoco na Natureza - Todos os direitos reservados
  

HOSPEDAGEM E GUIA
Esta viagem foi agendada pela Maritaca Turismo, da cidade de Sacramento (www.maritacaturismo.com.br), que conhecemos no Avistar 2010. Fomos gentilmente atendidos pela Nina, que acertou todo esquema de hospedagem, guia (Alessandro), roteiro e alimentação, o que tornou o passeio bastante produtivo.

Publicado por: Foco na Natureza | 20/07/2010

RPPN DO CRISTALINO – ALTA FLORESTA (MT)

Foco na Natureza - Todos os direitos reservados

LUGAR
Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) do Cristalino – Alta Floresta – MT

COMENTÁRIOS DA VIAGEM
Esta viagem foi agendada pela Trip on Jeep (http://www.triponjeep.com/br/), que recomendamos pela dedicação e profissionalismo da Magna e da Susana.

Para chegar ao Cristalino, o ideal é passar pelo menos um dia no Hotel Floresta Amazônica, onde pode-se ter a chance de observar o ninho da Harpia (infelizmente não conseguimos vê-la. Vai ficar para a próxima). O hotel está localizado próximo ao aeroporto, mas em uma área protegida e com trilhas bem interessantes. Dali, parte-se para o Cristalino, onde o ideal é ficar pelo menos três dias.

CARACTERÍSTICAS DO LUGAR
A RPPN está na borda da Floresta Amazônica com limite ao Parque Estadual do Cristalino, o que garante uma grande área preservada. Várias trilhas levam a passeios pela mata e pelo rio, onde pode-se observar uma infinidade de aves, em vôo ou pousando nas grandes árvores.

Devido às grandes alturas da vegetação, torna-se difícil fotos com maiores detalhes, porém com a ajuda do nosso guia, Jorge, foi possível observá-las com a luneta. O ponto alto e muito emocionante foram os encontros com os uirapurus, onde conseguimos gravar seu maravilhoso canto. Conta também com uma torre de observação de 50m de altura, onde chegando antes do sol nascer, pode-se ver a floresta despertando com suas cores entre a névoa, os sons dos pássaros, dos macacos…

A pousada é um diferencial a parte: inserida na floresta, é surpreendente o conforto e a beleza da decoração das acomodações. As refeições são um capítulo a parte: vários pratos com produtos típicos da região. Vale cada minuto passado por lá.

DATA
4 a 7 de maio/2010

CLIMA
Quente, com pouca chuva, bastante agradável.

COORDENADAS
90 35’48″S  550 55′ 52″ W

LOCAL
Localiza-se ao norte do Mato Grosso, próximo à divisa com o Pará.

ROTEIRO
O acesso é partindo de Alta Floresta, percorrendo 1:30hs de carro por estrada de terra. Chega-se ao rio Teles Pires e, de barco, percorre-se aproximadamente 20min, entrando pelo rio Crisitalino.

TRILHAS
Várias trilhas nos levaram a conhecer detalhes desta imensa floresta. Na trilha da serra, chegando bem cedinho, pode-se acompanhar o despertar da floresta. Pode-se apreciar toda vegetação em vários níveis, com a vista de um trecho do rio. Belíssima.
No retorno, passa-se por um trecho em laje, onde canteiros de orquídeas floridas
entre outras flores, se mostram de forma surpreendente. Nas outra trilhas podem ser observados pelo menos três espécies de macacos e uma infinidade de pássaros.

Os passeios de canoa pelo rio são um caso a parte: o ideal é deixar para o final da tarde, para descansar das trilhas a pé na parte da manhã. No meio do dia, devido ao calor, o ideal é fazer um bom decanso após o almoço.

FOTOS
Acesse outras imagens no álbum RPPN do Cristalino no Flickr

Foco na Natureza - Todos os direitos reservadosFoco na Natureza - Todos os direitos reservados
Foco na Natureza - Todos os direitos reservadosFoco na Natureza - Todos os direitos reservados

HOSPEDAGEM
Cristalino Eco Lodje: com a gentil recepção da Fran, ficamos em um bangalô com uma decoração maravilhosa. Ao fundo, uma varanda cercada, uma banheria e ducha ao ar livre para aquele banho após as trilhas, onde macados, jacutingas nos observam. Apesar de não possuir energia elétria, em algumas horas do dia o gerador é ligado, quando então podemos carregar as baterias dos equipamentos – o suficiente para não interferir na tranquilidade do lugar. Na alimentação, somente provando cada prato oferecido nas três refeições – sem contar na caipirinha maravilhosa preparada pela Irene.

GUIA
Jorge, nosso guia desde Alta Floresta, nos apresentou detalhes maravilhosos da floresta, sempre muito atento e com muito entusiamo, mostrando o quanto tem de afinidade com o lugar. Em especial, o encontro com os uirapurus, onde ele, com muita sensibilidade, conseguiu que nos aproximássemos o suficiente para observá-los, apreciar e até gravar seu canto. Em cada trilha, entendendo nosso propósito, levou-nos a conhecer e fotografar muito do que o lugar oferece. Grande pessoa e de um coração imenso.

SITES E LINKS
http://www.cristalinolodge.com.br/
http://www.triponjeep.com/br/

Publicado por: Foco na Natureza | 19/02/2010

PÁSSAROS DA JURÉIA

Piriquitos - Foto: Foco na Natureza - Todos os direitos reservados

Piriquitos

Tangará - Foto: Foco na Natureza - Todos os direitos reservados

Tangará

Tiê-sangue

Gralha

Saí Azul

Outras imagens – álbum Juréia no Flickr

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias